Covid-19: Após redução de óbitos, Amazonas desce mais uma posição no ranking de mortalidade do País


O Amazonas desceu mais uma posição no ranking nacional de mortalidade pela Covid-19, para cada 100 mil habitantes, segundo dados do portal SUS Analítico, vinculado ao Ministério da Saúde (MS) e alimentado com dados fornecidos pelas unidades federativas.

O Estado já foi o primeiro da tabela, no período em que enfrentou o pico da pandemia. Desde a última terça-feira, 28, passou a ser o terceiro, ficando atrás do Ceará, que ocupa a primeira posição (88 óbitos para cada grupo de 100 mil habitantes) e Roraima, localizada também na região Norte e que está em segundo (79 mortes para o mesmo grupo).

A mortalidade é calculada com base na população de cada estado, o que permite traçar, de forma equivalente, a situação nas unidades federativas. 

Há pelo menos quatro semanas, o Amazonas aparece em nível nacional como um dos estados que conseguiu controlar o número de mortes pela Covid-19 (considerando a média móvel, que analisa a evolução dos últimos sete dias). 

A redução na letalidade impactou positivamente no cenário nacional, caindo de mais de 8% sobre o número de infectados, para 3,2%, ficando abaixo, inclusive, da média nacional de 3,6%, conforme aponta o Coronavírus Brasil, também vinculado ao MS. Significa dizer que, por mais que haja aumento no número de casos notificados (fruto do aumento da testagem), o de óbitos vem reduzindo.

Hoje, o estado tem notificados 98.118 casos da doença e 3.236 mortes. A incidência, que considera o número de diagnósticos para cada 100 mil habitantes, está em 2.367, ficando em 6º na classificação geral do País. Mesmo com as medidas de flexibilização da quarentena, o Amazonas tem conseguido manter um índice de isolamento social que varia entre 40% e 42%, nos últimos dias, apontam dados da InLoco, analisados a partir dos sinais de telefonia móvel. 

Em todo o Brasil já são 2.483.191 casos e 83.539 óbitos pela Covid-19.

Comentários