Polícia Civil prende autor de latrocínio ocorrido em outubro de 2019, no bairro Zumbi

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prenderam na tarde de quarta-feira (10/06), por volta das 17h30, em cumprimento a mandado de prisão temporária, Rodrigo Rodrigues Sales de Lima, de 26 anos, conhecido como “Drica”, investigado pela autoria do latrocínio que teve como vítima Jackson Edrisse Silva de Almeida, que tinha 28 anos. O crime ocorreu na noite do dia 6 de outubro de 2019, por volta das 22h30, na rua Doutor Edvaldo, 1ª etapa do bairro Zumbi, zona leste da cidade.

Conforme o delegado Charles Araújo, adjunto da DEHS, o autor do crime fazia “programas sexuais” no lugar onde ocorreu o delito. Na ocasião do crime, ele teria marcado um encontro com Jackson já com a intenção de subtrair o aparelho celular dele.

“O autor do crime relatou em depoimento que no dia do fato, após o ‘programa sexual’, ele aproveitou para roubar o celular da vítima, que teria esboçado reação. Em posse de uma faca, ‘Drica’ desferiu um golpe que levou a vítima a óbito”, explicou Araújo.

Prisão

Charles Araújo informou que infrator foi preso na avenida Hilário Gurjão, bairro Jorge Teixeira, zona leste. A ordem judicial em nome dele foi expedida no dia 4 de junho de 2020, pelo juiz James Oliveira dos Santos, da Central de Inquéritos.

“Começamos a investigar o crime desde o dia do fato. Durante os trabalhos descobrimos que o autor do crime tinha levado, além da carteira e documentos pessoais, o celular da vítima. A partir disso começamos a montar o quebra-cabeça desse crime. Chegamos a três receptadores do celular, até identificar o autor do crime que, após a prisão, confessou o delito”, destacou o adjunto da DEHS.

O delegado ressaltou ainda que irá solicitar junto à Justiça a conversão do mandado de prisão temporária para prisão preventiva em nome do infrator.

Procedimentos

Ao término dos trâmites na DEHS, Rodrigo será levado para Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde irá ficar à disposição da Justiça.

Comentários