Pai de conselheiro que ofendeu Wilson Lima, desembargador derruba decisão que considerava CPI da pandemia inconstitucional

Foto: Raphael Alves/TJAM


Na manhã desta terça-feira (23), o desembargador Ari Jorge Moutinho, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), derrubou duas decisões anteriores que haviam barrado a formação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da saúde. O desembargador é pai do conselheiro Ari Moutinho, do Tribunal de Contas do Amazonas, que recentemente insultou o Governador do Amazonas, Wilson Lima, e os diretores da Cigás, se alterando e levantando a voz, usando palavras de baixo calão, constrangendo os demais participantes da audiência pública virtual da Aleam.

Nesta decisão, Ari Moutinho “Pai” mantém a formação original da CPI.

A  atual formação da Comissão da Saúde é composta pelo deputado Delegado Péricles como presidente, Fausto Junior como relator, e os deputados Serafim Corrêa, Wilker Barreto e Dr. Gomes como membros titulares.

No entanto, anteriormente, os deputados Belarmino Lins de Albuquerque, Mayara Pinheiro Reis e Álvaro Campelo da Mata entraram com um Mandado de Segurança garantindo que que o presidente do Legislativo Estadual, Josué Neto, aplicou equivocada interpretação dos dispositivos do Regimento Interno da casa (artigo 24, II e III) e designou duas vagas na Comissão Parlamentar de Inquérito para o bloco partidário integrado pelo presidente da Aleam.

Comentários