Amazonas AntiFascista e Amazonas pela Democracia realizam ato contra o governo federal e a discriminação racial



Centenas de pessoas participaram, na tarde desta terça-feira (02), na Av. Djalma Batista, de uma manifestação contra o governo federal e contra a violência policial diante da população negra. Os manifestantes percorreram parte da avenida reivindicando direitos e explicações sobre diversos acontecimentos recentes no Brasil. 

O ato, que teve duas iniciativas distintas (a Amazonas Antifascista e a Amazonas pela Democracia), acabaram se unindo na caminhada por conta da determinação de espaço para os manifestantes.  Houve confronto de ideias entre as duas e permaneceram pacíficas pelo trajeto que durou desde a esquina da Avenida Pará com Avenida Djalma Batista até o Manaus Plaza Shopping, onde as manifestações foram dispersas e encerradas. 



A caminhada que começou às 14h terminou por volta das 15h30, por ordem da Polícia Militar do Amazonas, que usou como argumento o horário de pico para a liberação da avenida. 

As manifestações começaram a ser organizadas pela internet e  tiveram como estopim os atos de protesto em diversas cidades dos Estados Unidos, após a morte do afro-americano George Floyd, assassinado no dia 25 de maio deste ano pela Polícia de Mineápolis, cidade americana. Houveram outros motivos importantes reconhecidos na passeata, como a questão da população indígena, meio ambiente, e as manifestações anti-democráticas que aconteceram em todo o Brasil durante os últimos dias.

Aos gritos de "Racistas não passarão" e "A Amazônia é nossa", o trajeto foi percorrido pacificamente por cerca de 500 pessoas (números estimados pela Polícia Militar do Amazonas), predominante jovens, que vestiam preto. 


Durante a manifestação, a Av. Djalma Batista sentido centro-bairro foi interditada para o acontecimento, enquanto o sentido bairro-centro continuava aberto, o que ocasionou com a passagem de diversos veículos com seus condutores muitas vezes se mostrando  contrários ou a favores do ato através de buzinas e gritos. 

Um incidente ocorrido aconteceu quando um indivíduo contrário à manifestação apareceu com uma bandeira do Brasil, que se tornou um artefato com simbologia representante à apoiadores do Presidente da República. Houve uma discussão e a bandeira foi retirada pelos próprios manifestantes, sem interferência da Polícia Militar do Estado.  

Depois do encerramento do trajeto, quando os integrantes do ato estavam no ponto final do caminho planejado (o Manaus Plaza Shopping), os organizadores das manifestações pediram para os participantes que se dispersassem e assim ocorreu.

As organizações prometem não ser as únicas com viés contrário ao governo federal. Novas manifestações já estão sendo agendadas para os próximos dias.


Texto e fotos: Luiggi Bacelar

Comentários