Wilson Lima confirma reabertura gradativa do comércio e de igrejas a partir do dia 1º de junho




O governador Wilson Lima (PSC) anunciou, na noite desta quarta-feira, 27, a abertura gradual das atividades comerciais e das igrejas no Estado. A decisão foi pautada em análise do Comitê de Crise do Executivo e considerou, entre outros dados, o percentual de pacientes Da COVID-19 recuperados, o qual chega a 70%, número acima da média nacional, de 40%.

 Lima explicou que dos mais de 33,5 mil contaminados no Estado, 26 mil estão fora do período de contágio e são considerados recuperados. O governador explicou que a abertura do comércio será permitida, desde que sejam seguidas regras como o uso de máscaras, álcool em gel e que haja medição de temperatura de trabalhadores e clientes.


Outra informação considerada essencial foi a atual situação da rede pública, que há algumas semanas estava com uma taxa de ocupação de 96% dos leitos em função da pandemia e, hoje, fica em 86% em leitos de UTI e 49% de leitos clínicos voltados ao tratamento da COVID.

 A secretária de Estado da Saúde, Simone Papaiz, destacou que a situação da rede, hoje “mais confortável”, se deu, principalmente, à ampliação do número de leitos clínicos de 639 para 1138, e de UTI de 107 para 243. A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Roimary Pinto, explicou que a curva atual da doença demonstra uma tendência de estabilidade, tanto no número de casos, quanto de óbitos, o que não significa “que a pandemia acabou”.

Os dados analisados são das últimas três semanas. No entanto, ela reforçou que no interior, a curva é ascendente. Pelo menos 17 municípios estão em estado considerado crítico, segundo ela. “Hoje, temos uma melhor capacidade de acompanhar indicadores importantes”, o que inclui os dados epidemiológicos e capacidade de progressão.

 Rosimery explicou que 26 municípios do Amazonas foram classificados como em situação de enfrentamento à pandemia e 16 em baixo risco. O cenário epidemiológico será analisado semanalmente, para que as medidas futuras sejam orientadas de forma mais segura.

Comentários