Josué Neto inicia a sessão sem acatar questionamento de 13 deputados sobre impeachment


A sessão da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) iniciou na manhã desta terça-feira (12) com confusão entre os deputados. O presidente da Casa, deputado Josué Neto (PRTB), não acatou a recomendação dos colegas e iniciou a leitura do expediente, mesmo sendo o próximo da linha de sucessão em caso de impeachment do governador Wilson Lima e do vice Carlos Almeida. Um grupo de 13 deputados pedia que Josué se declarasse impedido no início da sessão.

O deputado Saullo Viana (PTB) apresentou um requerimento com o parecer assinado pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Ilmar Galvão, e o professor Jorge Galvão, que foram contrários à participação de Josué Neto no comando do processo, justamente por ele ser o principal beneficiado como próximo na linha de sucessão.

Vice-presidente da casa, a deputada Alessandra Campêlo (MDB) também questionou a participação do presidente, deputado Josué Neto (PRTB), na condução da sessão.

“Talvez a sua assessoria não tenha visto e a Procuradoria não tenha acessado no SAPL que existe um requerimento em tramitação que o impede de participar e inviabiliza a sua participação”, destacou Alessandra.

A deputada Joana Darc (PL) ressaltou a importância do cumprimento da legislação.

“Não sou contra que tenha o processo, mas que seja dentro da lei como está a legislação. Dentro da legislação temos o princípio do juiz natural. A questão que estamos solicitando é que o presidente Josué Neto, caso seja procedente a cassação do governador e vice, ele assume o governo do Estado. Ele não pode presidir um processo em que ele é o beneficiado. Não queremos acabar com o processo, mas temos que seguir o que está na legislação”, afirmou.

Comentários