Dez dos 24 deputados estaduais do Amazonas têm patrimônios milionários, apontam dados do DivulgaCand, do TSE



Dez dos 24 deputados estaduais do Amazonas têm patrimônios superiores a R$ 1 milhão, segundo dados do DivulgaCand, sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de divulgação de candidaturas, atualizado em 2018, por ocasião das eleições gerais no País.

Somados os patrimônios declarados à época da campanha eleitoral de 2018, pelos 24 parlamentares, chega-se a mais de R$ 32 milhões em patrimônios, incluindo imóveis, investimentos em banco, automóveis, embarcações, entre outros.

As declarações de bens anexadas ao DivulgaCand, pelos então candidatos a ocuparem cadeiras na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), são de acesso público, e estão disponíveis no site do TSE.

Elas mostram que os parlamentares com patrimônios milionários são: Josué Neto (sem partido), presidente da Casa, com R$ 2,264 milhões; Roberto Cidade (PV), com 4,805 milhões; Augusto Ferraz (DEM), com R$ 7,280 milhões; Cabo Maciel (PL), com R$ 1,781 milhão; Felipe Souza (Patriota), com R$ 1,235 milhão; Adjuto Afonto (PDT), com R$ 5,007 milhões; Belarmino Lins (MDB), com R$ 3,281 milhões; Sinésio Campos (PT), com R$ 1,240 milhão; Therezinha Ruiz (PSDB), com R$ 1,765 milhão e Wilker Barreto (Podemos), com R$ 1,002 milhão. 

Alguns apresentaram uma evolução patrimonial significativa, entre uma eleição e outra. É o caso do presidente da Aleam, Josué Neto, que em 2014, acumulava R$ 1,497 milhão em bens. Em 2018, o valor saltou para R$ 2,364 milhões, um acréscimo de 57,9% em quatro anos. 

Os deputados Delegado Péricles (PSL) e João Luiz (Republicanos) não apresentaram bens nas declarações. O deputado Ricardo Nicolau (PSD), apresentou R$ 40 mil em patrimônio. Ele é um dos administradores do Grupo Samel, que tem seu irmão, Luis Alberto Nicolau, como um dos sócios-proprietários. O capital social da empresa é de R$ 17 milhões. 

Comentários