Deputados questionam processo de escolha para CPI e Justiça é novamente acionada


A vice-presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputada Alessandra Campelo (MDB) entrou com uma ação na Justiça questionando a legalidade da composição da CPI da Saúde. Ela e o deputado Felipe Souza (Patriotas) foram indicados como suplentes e declinaram da indicação por não concordarem como o processo de escolha foi realizado.

Na sua ação, Alessandra argumenta que a indicação dos membros da CPI manteve os mesmos vícios da formação anterior que foi suspensa por ordem do desembargador Mauro Bessa. Ainda na petição, a parlamentar ressalta que não pretende impedir a CPI, mas apenas sanar as ilegalidades na formação da Comissão. E pede a suspensão da designação dos membros da CPI.

Durante sessão plenária virtual desta quinta-feira (28), Felipe Souza afirmou que não foi consultado para ser escolhido como suplente e que “não quer nenhum prêmio de consolação”. “Passe a bola para outros, existem outros blocos que ficaram sem representantes, estou aqui declinando a minha indicação de primeiro suplente, para que outro colega possa participar”, disse.

Já Alessandra apontou que soaria como “oportunismo” de sua parte permanecer na suplência “do tipo eu estou combatendo porque não estou lá, agora que me colocaram, vou dizer que está certo, não vou legitimar”.

“Gostaria que o meu nome fosse retirado, não entendi o critério, não sei como foi feito e baseado em que foram definidos esses nomes. O meu nome não vai ser utilizado em algo que considero que está ilegal. Obviamente que após o restabelecimento da legalidade da composição da CPI, aí sim, nesse momento oportuno vou fazer as tentativas possíveis para ser uma das pessoas indicadas”, completou.

Comentários