COVID-19: Amazonas registra 1.139 casos em 24 horas, além de 102 óbitos



O Amazonas registrou mais 1.139 casos de Covid-19, nesta quarta-feira (06/05), totalizando 9.243 casos confirmados do novo coronavírus no estado, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Também foram confirmados mais 102 óbitos pela doença, elevando para 751 o total de mortes.
O boletim aponta que 5.802 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão em isolamento social ou domiciliar. De ontem para hoje, mais 189 pessoas se recuperaram da doença e estão fora do período de transmissão do vírus, totalizando agora 2.286 recuperados.
Internações – Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 404 pacientes internados, sendo 245 em leitos clínicos (68 na rede privada e 177 na rede pública) e 159 em UTI (66 na rede privada e 93 na rede pública).
Há ainda outros 904 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 679 estão em leitos clínicos (207 na rede privada e 472 na rede pública) e 225 estão em UTI (97 na rede privada e 128 na rede pública).
Municípios – Dos 9.243 casos confirmados no Amazonas até esta quarta-feira (06/05), 5.474 são de Manaus (59,22%) e 3.769 do interior do estado (40,78%).
Além da capital, 53 municípios já têm casos confirmados: Manacapuru (630); Parintins (311); Tabatinga (266); Santo Antônio do Içá (206); Iranduba (195); Rio Preto (175); Coari (161); Itacoatiara (160); Maués (150); Tefé (150); Careiro Castanho (134); São Paulo de Olivença (122); Presidente Figueiredo (118); Carauari (117); Autazes (109); Tonantins (69); Amaturá (63); Boca do Acre (59); Anori (56); Benjamin Constant (50); Urucará (39); Silves (31); São Gabriel da Cachoeira (30); Nova Olinda do Norte (29); Tapauá (29); Fonte Boa (24); Maraã (24); Manaquiri (23); Lábrea (22); Itapiranga (18); Careiro da Várzea (17); Novo Airão (17); Barreirinha (16); Beruri (16); Urucurituba (14); Novo Aripuanã (13); Borba (11); Jutaí (11); Boa Vista do Ramos (10); e Barcelos (9).
Os municípios de Eirunepé e Manicoré têm oito casos cada um. Caapiranga, Codajás e São Sebastião do Uatumã têm sete casos cada um. Santa Isabel do Rio Negro tem seis casos. Canutama e Humaitá têm cinco casos cada um. Anamã e Nhamundá têm quatro casos cada um. Alvarães tem dois casos. Os municípios com apenas um caso confirmado são: Atalaia do Norte e Juruá.
Óbitos – Entre pacientes da capital, até o momento, há o registro de 532 óbitos confirmados para o novo coronavírus.
Os 33 municípios do interior com óbitos confirmados até o momento são: Manacapuru (41); Coari (23); Parintins (21); Itacoatiara (17); Maués (15); Autazes (13); Tabatinga (12); Iranduba (12); Tefé (10); Presidente Figueiredo (6); Santo Antônio do Içá (5); Careiro Castanho (5); Benjamin Constant (5); Tonantins (4); São Paulo de Olivença (3); São Gabriel da Cachoeira (3); Novo Airão (3); Rio Preto da Eva (2); Urucará(2); Manaquiri (2); Beruri (2); Barcelos (2); Carauari (1); Amaturá (1); Anori (1); Silves (1); Tapauá (1); Itapiranga (1); Barreirinha (1); Novo Aripuanã (1); Borba (1); Manicoré (1); e Nhamundá (1); totalizando 219 mortes por Covid-19 entre pacientes do interior.
Outros 101 óbitos estão em investigação e 40 foram descartados para o novo coronavírus. Mais informações podem ser encontradas nos sites www.coronavirus.amazonas.am.gov.br e www.saude.am.gov.br/painel/corona.

O aumento expressivo no número de novos casos de Covid-19 confirmados nos últimos dias, no Amazonas, é reflexo tanto da ampliação da rede de diagnóstico quanto do aumento da testagem no estado. Quem faz a avaliação é o diretor-técnico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Cristiano Fernandes, que acompanha de perto as análises da situação epidemiológica local.

Segundo ele, quanto mais sensível a rede de diagnóstico, maior é a captação de casos. “Como nós tínhamos uma parcela de amostras reprimida, fizemos uma força-tarefa para atualizar nosso banco de diagnóstico, e isso aumentou significativamente o número de casos registrados. Aumentamos nossa capacidade de processar as amostras, então a tendência é termos mais diagnósticos”, explicou.

Essa ampliação teve início no dia 28 de abril, quando o Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM), vinculado à FVS, anunciou uma parceria com a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e a Fiocruz Amazônia para aumentar em cerca de 30% o processamento dos exames de Covid-19 por meio da técnica RT-PCR (biologia molecular). 

Atualmente, o Lacen-AM entrega cerca de 720 resultados por dia, em regime de trabalho de 24h. Em paralelo, a FMT-HVD tem capacidade para analisar, no mínimo, 200 amostras por dia, enquanto a Fiocruz Amazônia consegue processar pelo menos 100 exames diários – ambos possuem estrutura para ampliar esse suporte, conforme a demanda.

Uma semana após a descentralização dos diagnósticos, os dois laboratórios parceiros já liberaram aproximadamente 1.000 resultados cada.

Curva ascendente - De acordo com Cristiano Fernandes, a partir desses números, a FVS tem analisado linhas de tendência que mostram que o Amazonas ainda está com a curva de casos em crescimento.

“As pessoas estão na expectativa de já termos superado o pico, mas não conseguimos afirmar essa redução ainda, pelo contrário, estamos com aumento. O interior passou de 30% para 40% do total de casos notificados no estado, então isso mostra um aumento da doença”, ponderou.

Ele destacou, ainda, que esses dados refletem apenas uma parcela da realidade, uma vez que o Brasil não testa todos os casos sintomáticos e que 80% das pessoas infectadas pelo novo coronavírus não apresentam sintomas, como demonstram os estudos realizados até agora.

Testagem – Além do aumento na capacidade de diagnóstico, o Governo do Estado também tem direcionado esforços à ampliação da testagem no Amazonas, seja por meio da aquisição de insumos para exames por biologia molecular ou pelo incremento à distribuição de testes rápidos no interior.

De acordo com a Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), que coordena o estoque de insumos da área de saúde, foram distribuídos mais de 29 mil testes rápidos para o novo coronavírus entre os municípios do interior desde o mês de março.

Além disso, o estado tem recebido um apoio importante do Governo Federal, que enviou ao Amazonas, até o momento, 60.940 testes rápidos e 13.928 kits para exames por RT-PCR. Para reforçar esse estoque, a Secretaria de Saúde (Susam) também fez a aquisição de 20 mil testes rápidos.

Outra estratégia adotada pelo Governo do Estado é a testagem dos profissionais da saúde e da segurança pública, que são essenciais neste contexto de pandemia. Segundo a FVS, já foram realizados 3.594 testes rápidos com essas categorias em quatro pontos de coleta da capital. O serviço exclusivo é feito mediante agendamento pelo aplicativo Sasi.

Comentários