Hospital da Nilton Lins deve ser entregue em dez dias para receber pacientes com COVID-19





O governador Wilson Lima visitou, na
manhã desta segunda-feira (06/04), o hospital da Universidade Nilton Lins, na zona centro-sul de Manaus, para acompanhar a preparação de 400 novos leitos clínicos que vão atender casos do novo coronavírus (Covid-19). Nesta semana, a unidade de saúde passará pelo processo de dedetização e desinfecção, além de testagem da rede de gases. A unidade deve ser entregue em dez dias. 

Durante live nas redes sociais do Governo do Amazonas, Wilson Lima também voltou a reforçar a necessidade de distanciamento social para conter o avanço do Covid-19 no Amazonas. Ele já assinou o Decreto n⁰ 42.258, que suspende, pelo prazo de 15 dias, o transporte intermunicipal e interestadual terrestre de pessoas no Amazonas.

A norma se aplica a ônibus e micro-ônibus públicos e privados, vans, táxis e transporte por aplicativo, inclusive os compartilhados e os de tipo lotação, que prestam esse tipo de serviço nas rodovias estaduais e federais do estado.

“Não há outra maneira da gente combater ou diminuir essa propagação do vírus, a não ser o isolamento social. Por isso, no sábado (04/04) eu baixei um decreto para suspender as viagens de passageiros intermunicipais e também interestaduais. E aqui vale um esclarecimento interessante: o Governo do Estado não proibiu táxi, não proibiu o transporte coletivo, não é disso que se trata. Mas continua valendo aquela regra para evitar aglomeração, táxi lotação também está suspenso entre os municípios”, esclareceu Wilson Lima.

De acordo com o Decreto nº 42.158, a suspensão do transporte intermunicipal e interestadual terrestre não se aplica às pessoas que estejam regressando ao seu domicílio de origem nem ao transporte de cargas e de serviços de urgência e emergência em saúde, de segurança pública ou relacionado aos demais serviços públicos essenciais. Nesses casos, as pessoas deverão, obrigatoriamente, adotar os cuidados de prevenção contra o novo coronavírus, como uso de máscaras e álcool em gel.

Aumento da capacidade – Durante live nas redes sociais, o governador destacou, ainda, que a prioridade é ampliar a capacidade de atendimento de casos de Covid-19 no Amazonas. Os 400 leitos clínicos do hospital da Nilton Lins, segundo Wilson Lima, poderão ser adaptados para leitos de UTI, conforme a necessidade de atendimento e disponibilidade de equipamentos.

“A nossa grande corrida agora é para aquisição de insumos, sobretudo de respiradores. Respirador hoje tem se tornado o objeto mais cobiçado, há uma disputa mundial, todos os países estão disputando a compra desses equipamentos, que são importantíssimos para a montagem de UTIs, que são importantes para aqueles casos de Covid-19 de pessoas que estão mais agravadas”, afirmou Wilson Lima.

Segundo ele, os esforços do Governo do Estado estão concentrados também no aumento da capacidade instalada do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, referência para os casos graves de Covid-19 no estado. “Estamos disponibilizando todos os nossos recursos e toda a nossa infraestrutura para o atendimento a esta pandemia. Esse é um momento difícil, um momento complicado pelo qual passam todos os países, pelo qual passa o mundo, e no Amazonas não é diferente”, disse.

Fiscalização – No último fim de semana, o governador determinou, ainda, que as forças de segurança estaduais reforçassem a atuação nas ruas para fazer cumprir o decreto que suspendeu o funcionamento dos serviços não essenciais. A força-tarefa é formada pela Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), Instituto Estadual de Defesa do Consumidor (Procon-AM) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Em paralelo, Wilson Lima tem mantido interlocução constante com representantes do comércio, da indústria e com os integrantes da área técnica do Governo do Estado para avaliar, assim que for possível, a retomada gradativa das atividades econômicas.

“As decisões que nós estamos tomando são decisões responsáveis para preservar a vida das pessoas. Eu tenho conversado com muitos trabalhadores informais e entendo a dificuldade pela qual essas pessoas estão passando nesse momento, mas também tenho conversado muito e tenho convivido com a realidade de famílias que têm parentes acometidos de Covid-19 e que nesse momento estão em uma unidade hospitalar internados. Nossa prioridade é a vida, nossa prioridade é proteger as pessoas nesse momento”, ressaltou o governador.

Comentários