Lar Rosa Blaya receberá projeto social voltado à organização de ambientes




A associação Segeam (Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas) dará início, no próximo dia 16 (segunda-feira), ao projeto social ‘Sol Organizar’, que será implantado como piloto, no Serviço Residencial Terapêutico Lar Rosa Blaya, localizado na rua Alameda A, Santa Etelvina, zona Norte de Manaus.  

O objetivo, segundo a enfermeira Karina Barros, é levar treinamento e qualidade de vida a internos e profissionais que atuam no local, através da reorganização de ambientes. A iniciativa considera, principalmente, o perfil das pessoas atendidas pela unidade, que é vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

Karina Barros é a Presidente da Segeam e explica que o treinamento será aplicado pela consultora em organização, Martinha Sol, proprietária da marca Organizer Marthinhasol. A ideia é transformar, através de uma organização mais dinâmica, os espaços do Lar em ambientes mais funcionais, facilitando a localização de objetos e setores, conforme uma metodologia pré-estabelecida. 

“Os cuidadores da Segeam que atuam na unidade farão parte da iniciativa. O projeto acontecerá em pelo menos seis etapas: avaliação, diagnóstico, sensibilização, treinamento, manutenção e análise posterior de resultados”, destacou.

A idéia é que o projeto seja ampliado para outras instituições onde a Segeam atua. “É uma iniciativa voltada à responsabilidade social, que busca promover o bem-estar dos mais de 30 moradores do Lar Rosa Blaya”, frisou.

A instituição pública acolhe, em sua maioria, ex-pacientes internos do Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, oferecendo moradia, alimentação e assistência 24 horas por dia, através do Governo do Estado. Ao todo, eles ocupam seis casas com espaços distintos.

Os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) foram criados através da Portaria nº- 106/GM/MS, de 11 de fevereiro de 2000. Os SRTs são estratégicos no processo de desospitalização e reinserção social de pessoas longamente internados nos hospitais psiquiátricos ou em hospitais de custódia.

Comentários