Wilson Lima e ministro do Meio Ambiente visitam espaço que irá abrigar a Secretaria da Amazônia, em Manaus



O governador Wilson Lima apresentou ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na última sexta-feira (31/01), a nova sede da Secretaria de Meio Ambiente do Amazonas (Sema), no bairro Parque Dez, zona centro-sul de Manaus. O ministro confirmou ao governador que a Secretaria da Amazônia irá funcionar na sede da Sema e vai focar nos quatro eixos da Política de Preservação da Amazônia: Zoneamento Econômico Ecológico, Regularização Fundiária, Pagamento por Serviços Ambientais e Bioeconomia.

“É importante a vinda do ministro do Meio Ambiente ao Estado do Amazonas para reforçar esse compromisso que ele tem com a região, sobretudo com as políticas de desenvolvimento sustentável, a questão da bioeconomia. Ele veio também para tratar da questão da Secretaria da Amazônia e como é que esses entes que estão instalados aqui, como CBA e ICMBio, podem fazer esse cruzamento de informações e também essas atividades transversais para que a gente possa efetivamente caminhar”, afirmou o governador.

No primeiro momento, 30 técnicos do Ministério do Meio Ambiente vão trabalhar na secretaria, segundo explicou Ricardo Salles. “Nós estamos alinhando a Secretaria da Amazônia com a decisão da criação do Conselho da Amazônia. O Conselho da Amazônia foi decidido pelo presidente Jair Bolsonaro para justamente gerar esse cuidado com a região. Será presidido pelo vice-presidente (Hamilton) Mourão, que conhece muito a região, que tem conhecimento, tem toda a capacidade de articular todas as esferas que precisam estar envolvidas nisso: o Ministério da Economia, Ministério da Agricultura, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Ciência e Tecnologia, Polícia Federal, Forças Armadas. Essa integração propiciada pelo Conselho da Amazônia, sob o comando do vice-presidente Mourão, fará com que a gente possa avançar”, explicou Salles.

Em reunião na sede da Sema, o governador Wilson Lima e o secretário estadual de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, apresentaram os avanços ambientais alcançados pelo Estado ao ministro Ricardo Salles. “A gente já avançou e tem uma ação inédita no Estado do Amazonas, que é o pagamento por serviços ambientais, que foi uma intermediação do Itamaraty, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente. A Alemanha vai aportar 10 milhões de euros aqui no Amazonas, num período de 5 anos, com a contrapartida do Estado de nós reduzirmos em 20% o desmatamento em relação ao ano de 2019”, explicou o governador.

O secretário Eduardo Taveira detalhou as ações desenvolvidas pelo Estado e que estão alinhadas com a política ambiental do Governo Federal. “A apresentação de questões concretas de políticas para o meio ambiente e desenvolvimento sustentável que já foram determinadas pelo governador e que estão sendo implementadas, como os acordos de pesca, que garantem a sustentabilidade dos estoques pesqueiros, mas também promovem as ações de pesca comercial, esportiva e artesanal”, explicou Taveira.

Sema – O novo prédio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente foi construído com recursos do Banco Alemão de Desenvolvimento – KFW, instituição que tem investimentos no Amazonas, nas áreas socioambiental e de desenvolvimento sustentável.

“Esse prédio foi construído com recurso do KFW, inclusive, já vim aqui com o pessoal também do KFW, que ficou muito satisfeito com o andamento da obra e a próxima vez que eles estiverem aqui, eu tenho certeza que vão ficar mais satisfeitos ainda com a conclusão e com a efetiva destinação desse prédio”, destacou o governador.

“A vinda do ministro – que saiu muito bem impressionado daqui com essa estrutura – é a prova de que nós estamos no caminho certo na política ambiental, mas garantindo o desenvolvimento sustentável, que possa proporcionar a quem mora na floresta esse significado de desenvolvimento, para que ele possa ter emprego e renda”, completou Wilson Lima.

Visita ao CBA – Nesta sexta-feira (31/01), o governador Wilson Lima e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também visitaram as instalações do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA). Acompanhados do superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes, e do coordenador-geral de Planejamento e Programação Orçamentária da Suframa e membro titular da Autarquia no Grupo de Gestão do CBA, Fábio Calderaro; o governador e o ministro conheceram a estrutura e discutir o potencial econômico do Centro.

A proposta da equipe econômica do Governo Federal é transformar o CBA em um centro de negócios voltado à geração de produtos e empresas ambientalmente responsáveis. A intenção é transformar a Amazônia em referência global na geração de negócios sustentáveis.

“O CBA tem tudo para receber investimentos de empresas ligadas ao setor de cosmético, farmacêutico, transformação de alimentos; uma série de pesquisas relacionadas à biodiversidade da Amazônia e que, uma vez devidamente pesquisadas e transformadas em produto, gerando emprego e renda para as pessoas, trará, não só a conservação da floresta e o desenvolvimento sustentável, mas uma melhoria substancial da qualidade de vida das pessoas”, pontuou Ricardo Salles.

O ministro ressaltou a importância do Polo Industrial de Manaus (PIM) na geração de empregos e no desenvolvimento econômico sustentável da região. “A indústria, aqui na Amazônia, gera empregos. Os empregos são importantes para evitar a degradação. O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza. Portanto, a geração de empregos do Polo Industrial de Manaus é um dos instrumentos para combater a pobreza, para gerar essa oportunidade de emprego e renda. Nós temos que apoiar o que já está sendo feito e avançar, ainda mais, na área da bioeconomia”, avaliou o ministro.

Cetas – Depois da visita ao CBA, a comitiva esteve no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), administrado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O espaço, localizado no Distrito Industrial 1, recebe animais silvestres por entrega voluntária, resgate ou oriundos de apreensão de fiscalização.
Depois de tratar e recuperar os animais resgatados, a equipe do Cetas realiza a soltura ou encaminhamento para empreendimentos de fauna devidamente autorizados.

Comentários