Mocidade Independente de Aparecida é a campeã do Carnaval 2020


Mocidade Independente de Aparecida é a campeã do Carnaval 2020




A Mocidade Independente de Aparecida foi a grande campeã do Carnaval 2020, com 179,9 pontos, após apuração realizada no Centro de Convenções Professor Gilberto Mestrinho (Sambódromo), nesta segunda-feira (24/02). A Reino Unido da Liberdade conquistou o segundo lugar, com 179 pontos, e A Grande Família ficou em terceiro, com 178,9. Os Desfiles das Escolas de Samba de Manaus foram realizados pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.
Os rituais de diferentes culturas e eras da humanidade foram o tema principal da agremiação do bairro de Aparecida, que foi a sexta escola a desfilar na Avenida do Samba na noite de sábado, com o enredo “Rituais”. Com 3.500 componentes, contando com quatro carros alegóricos e 23 alas, a agremiação mostrou os rituais de grandes civilizações, como os maias, persas, fenícios, gregos e macedônios, e também os rituais brasileiros, de tribos indígenas e de oferendas a orixás.
“A emoção é muito grande, mas é um sentimento de dever cumprido. A Aparecida se preparou desde abril, e foi um trabalho árduo de muita responsabilidade, muita dedicação. Quando você trabalha, você tem resultados positivos. Nesse ano que passou nós fizemos muitas modificações para a melhoria do Carnaval  da Aparecida, e a consequência é essa. Atribuo esse resultado à união e ao respeito, a todas aquelas pessoas que fazem a Aparecida”, declarou o presidente da Aparecida, Luiz Pacheco.
No último lugar do Grupo Especial ficou a Mocidade Independente do Coroado, com 173,2 pontos, sendo rebaixada para o Grupo de Acesso A.
“Todos os presidentes das escolas de samba estão de parabéns pelo empenho de suas comunidades em trazer este belíssimo Carnaval aqui na Avenida do Samba. O resultado final mostrou a união das escolas, buscando realmente um resgate do Carnaval, e o público compareceu em peso nos desfiles, mostrando a força da comunidade. Agora é começarmos o trabalho para o Carnaval 2021″, disse o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.
A mesa apuradora do Grupo Especial foi composta pelo secretário, Marcos Apolo Muniz; a assessora da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Elizabeth Cantanhede; o executivo da Comissão Executiva das Escolas de Samba de Manaus (Ceesma), Nonato Torres; o diretor carnavalesco, Jorge Cordeiro Genésio; e o advogado da Ceesma, Gabriel Serrão.
Grupo de Acesso A – A Vila da Barra foi a campeã do Desfile das Escolas de Samba do Grupo de Acesso A, com 178,6 pontos, garantindo um lugar no Grupo Especial. Presidente Vargas e Acadêmicos da Cidade Alta ficaram em segundo e terceiro lugar, com 177,8 e 177,1  pontos, respectivamente.
A Vila contou a história do líder da Fraternidade Universal de Jesus com o enredo “Fé Sem Conhecimento é Fanatismo – A Trajetória do Mestre Adonai”, enredo de Roney Cruz e Rodrigo Fróes. Foram 13 alas, divididas em três setores “Princípio da Missão”, “Nasce a profecia com os dons divinos” e “A visão, dom e paixão do mestre Adonai”.
“A emoção é muito grande, quem diria que um dia chegaríamos ao Grupo Especial? Então estamos muito alegres e nossa comunidade vai estar em festa. Nosso trabalho árduo, de muitas noites acordados, nos deu resultado. Todos são merecedores, quem trabalhou no galpão, ateliê, quem apoiou direta ou indiretamente, todos”, declarou Apollo Ferreira, presidente da Vila da Barra.
A agremiação Balaku Blaku não se apresentou e por isso ficou em último lugar, sendo rebaixada para o Grupo de Acesso B.
Grupo de Acesso B – A campeã dos Desfiles do Grupo de Acesso B foi a Mocidade Independente da Raiz, com 177,70 pontos, conquistando um lugar no Grupo A; já a segunda colocada foi a Legião de Bambas, que fez 175,80 pontos; e a terceira foi a Império do Mauá, com 174,50 pontos.
A campeã levou o meio ambiente para a Avenida do Samba, com o enredo “Amazônia – Encantos e Magia”, de Cleumar Ferreira, com base nos livros “Contos da Floresta”, de Yaguere Yama; e “Cismas do Interior”, de João Melo.
No desfile, a agremiação fez uma homenagem à Floresta Amazônica numa perspectiva lúdica e didática, com a proposta de abordar os encantos e magias que povoam o imaginário amazônico.
“Nossa emoção é grande pela nossa vitória, nossa conquista. Trabalhamos muito para tudo isso acontecer. E vamos prometer que agora a gente vem mais forte ainda, que nossa dedicação será bem maior”, disse Mário Bermeu, vice-presidente da Mocidade Independente da Raiz.
A mesa apuradora dos Grupos de Acesso foi formada  Luís Euclides Braga Araújo, advogado da Comissão Executiva das Escolas de Samba de Manaus; Sigrid Cetraro, secretária executiva da Secretaria de Cultura e Economia Criativa; Montelo Lira, presidente do Grupo de Acesso Oficial (GAO); e Dorival Jr., vice-presidente da União das Escolas de Samba do Amazonas (Uesam).

Comentários