Homem morre em Nova Lima, e sobe para 53 o número de óbitos em MG



Um homem de 45 anos, morador de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, morreu na noite desta terça-feira (28), quando sua casa desabou devido à força das chuvas que atingem parte da região sudeste desde o último dia 17. Só em Minas Gerais já foram registradas 53 mortes em decorrência dos efeitos das chuvas.
Segundo a prefeitura de Nova Lima, o homem cujo nome não foi divulgado morava no bairro Chácara dos Cristais. No momento em que sua casa ruiu, chovia muito em toda a cidade, o que causou alagamentos e deslizamentos de terras em vários pontos da cidade. Atingida pelas águas, a Unidade Básica de Saúde do bairro Cascalho permanecerá fechada até a conclusão da limpeza e reparos necessários. Até as 10h30 de hoje (29), trechos das rodovias estaduais AMG-160 e MG-030 próximos ao município estavam interditados devido a deslizamentos de encostas.
Nas redes sociais, o prefeito de Nova Lima, Vitor Penido, comentou que, desde a última quinta-feira (23), a cidade passa por “momentos bastante difíceis”. “Com certeza, nos últimos 50 anos, nunca teve tanta água jogada sobre o nosso solo”, disse Penido, poucas horas antes da primeira morte registrada no município. O prefeito aproveitou para pedir a ajuda dos cidadãos. “Tem previsão de chuva para hoje [ontem] e amanhã [hoje]. Peço que a população nos ajude e, qualquer coisa, entre em contato com a Defesa Civil ou até mesmo com o nosso gabinete. E que não jogue saco de lixos nas ruas fora do horário de coleta, porque este é um dos motivos para as bocas de lobo ficarem entupidas, acabando por provocar enchentes em alguns lugares”.
No estado, os primeiros óbitos ocorreram entre os dias 23 e 24 últimos. Ou seja, há apenas sete dias, no máximo. O que significa uma média diária de 7,5 óbitos causados por deslizamentos de terra; desmoronamento de construções; alagamentos; transbordamento de rios e quedas de árvores. Este número, no entanto, já pode ser maior, pois há duas pessoas desaparecidas, uma em Conselheiro Lafaiete, outra em Tabuleiro.
De acordo com o boletim divulgado pela Defesa Civil estadual às 10 horas de hoje, o maior número de vítimas fatais foi registrado em Belo Horizonte, onde o total de mortos já chega a 13. Em seguida vem Betim (6); Ibirité e Luisburgo (5, em cada). Quarenta e duas pessoas morreram soterradas e 11 afogadas ou por outras causas, após serem arrastadas pelas águas.
Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil  Brasília

Comentários