Governo Federal reduzirá incentivos do polo de concentrados da Zona Franca de Manaus de 10% para 8%




O presidente Jair Bolsonaro tratou como mal-entendido a decisão anterior de não renovar o decreto que garantiria os incentivos do pólo de concentrados de refrigerantes da Zona Franca de Manaus (ZFM), em 10%, reduzindo-os para 4%. De acordo com o chefe do Executivo, a redução na isenção do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) será de 2%, deixando o percentual em 8%.

O assunto foi abordado durante Live em seu perfil na rede social Facebook, na manhã desta quarta-feira, 15. Questionado sobre a redução, que ameaça a manutenção das empresas na capital amazonense, ele disse que “o que estava sendo discutido desde o ano passado, é que tinha um decreto do (ex-presidente Michel) Temer, que passava de 14% para 4% (o crédito tributário) no final da linha. (Agora), foi acertado decretos sucessivos que baixariam de 2 em 2%, no lapso temporal”, frisou.

O presidente disse que houve um mal-entendido no ano passado. “Já conversei com o Paulo Guedes (ministro da economia). A gente vai passar de 10% para 8%, agora, até chegar a 4%, isso daqui uns dois, três anos”, garantiu .

O cpolo de concentrados gera R$ 9,5 bilhões de receita e 7,3 mil empregos no Amazonas, sendo o único do país. Ele inclui, por exemplo, as gigantes Ambev e Coca-Cola. A redução dos incentivos resultaria em um golpe na economia do Estado, que tem no modelo Zona Franca sua principal matriz econômica.

Comentários