Comitiva do BNDES vem a Manaus conhecer projetos financiados pelo Fundo Amazônia



O governador Wilson Lima recebeu, na última desta quarta-feira (22/01), na sede do Governo do Estado, na Compensa II, zona oeste da capital, uma comitiva do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) que veio ao Amazonas conhecer projetos financiados pelo Fundo Amazônia. Fazem parte da comitiva o Superintendente da Área de Gestão Pública do BNDES, Júnior Leite, e o Chefe de Departamento de Meio Ambiente, Nabil Kadri.

“O BNDES é o encarregado de administrar o Fundo Amazônia e nós temos o prazer em mostrar como os recursos estão sendo bem investidos e nos ajudando a desenvolver a área ambiental no Amazonas. Nós temos projetos bem sucedidos tocados com esses recursos e é importante que eles vejam de perto a importância disso. Nós precisamos retomar os investimentos em projetos aqui no estado,” disse o governador do Amazonas.

O Fundo Amazônia já captou mais de R$ 3 bilhões junto aos doadores - principalmente da Alemanha e Noruega. O orçamento é destinado para o andamento de ações de conservação e uso sustentável das florestas da Amazônia. Para o secretário de Meio Ambiente do Amazonas, Eduardo Taveira, o momento é de reafirmar parcerias em defesa da Amazônia.

“Esse encontro é extremamente importante para o Amazonas, pois reafirma o principal pilar do trabalho realizado pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema): a conservação ambiental só pode ser alcançada aliada tanto à defesa das nossas florestas como a projetos de desenvolvimento sustentável. Os recursos do Fundo Amazônia permitem o crescimento econômico tradicional com a responsabilidade da manutenção das nossas riquezas naturais”, disse o secretário.

Além de Eduardo Taveira, também esteve presente na reunião o diretor de florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Joaquim Leite. Ele confirmou que a Secretaria Nacional da Amazônia será implantada em Manaus, com as atividades em funcionamento dentro da Sema.

Ao governador, Joaquim Leite disse também que será disponibilizada, ainda neste trimestre, a primeira parcela do ProjeCAR, que é o projeto de inscrição e análise do Cadastro Ambiental Rural, apresentado ao Governo Federal pela Sema e aprovado ano passado.

“Existem inúmeras vantagens para o agricultor cadastrado no CAR, que incluem o planejamento do imóvel rural, comprovação de regularidade ambiental, segurança jurídica, comercialização de cotas de reserva ambiental, além de maior competitividade no mercado e acesso ao crédito agrícola. Sem dúvida, o CAR é um passo importante para o Amazonas”, disse Wilson Lima.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um documento eletrônico, criado pela Lei 12.651/2012, que garante a preservação do meio ambiente sem interferir no desenvolvimento da agricultura. O CAR é obrigatório para todos os imóveis rurais e visa controlar, monitorar e combater o desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil.

O ProjeCAR é coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), com apoio do Idam, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Fundo Amazônia e Agência de Cooperação Alemã (GIZ).

Visitas a Unidades de Conservação - A comitiva do BNDES segue a agenda no Amazonas com visita a Unidades de Conservação (UC) estaduais, gerenciadas pela Sema. Na tarde desta quarta-feira (22/01), o grupo se dirigiu até a Comunidade Tumbira, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro.

No local, uma visita técnica foi realizada ao Núcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Agnello Bittencourt Uchoa e a projetos de geração de renda apoiados pelo Fundo Amazônia. Pela noite, a comitiva se reúne com lideranças tradicionais para uma roda de conversa.

Na quinta-feira (23/01), a comitiva participará de uma reunião de alinhamento com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), para organizar o apoio do Fundo Amazônia para 2020. No mesmo dia, o grupo segue para a RDS Uatumã, onde será inaugurada a mini-usina de óleos vegetais. A programação do dia inclui uma reunião junto ao secretário da Sema, Eduardo Taveira, ao Instituto de Conservação e o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) e lideranças comunitárias.

A visita da comitiva do BNDES encerra na sexta-feira (24/01), com visita a viveiro de mudas e Sistema Agroflorestal (SAF) da RDS Uatumã. Implantado no âmbito do Programa Carbono Neutro, do Idesam, o SAF realiza a compensação de emissões de gás com o plantio da agrofloresta, junto às populações tradicionais da reserva.

FOTOS: Diego Peres/Secom

Comentários