Veterinário do Amazonas preso em rinha de cães será demitido e responderá por falta ético-profissional no CRMV-AM




O veterinário preso em uma rinha de cães, no início da semana, em Mairiporã (SP), será demitido da Agência de Defesa Agropecuária do Amazonas (Adaf), para a qual prestava serviço.

Em nota, a agência, vinculada ao Governo do Amazonas, informou que a conduta dele é incompatível ao cargo o qual ocupa.

Ele foi preso com mais 40 pessoas, em uma fazenda, na qual foram resgatados mais de 20 cães, da raça Pit Bull.  Pelo menos quatro animais acabaram morrendo em função do agravamento do quadro de saúde.

Os animais estavam muito machucados e na ocasião da abordagem policial, dois dos cães estavam lutando entre si para uma platéia. No mesmo local, outras pessoas faziam churrasco de carne de cachorro para ser consumido e para alimentar os animais.

As equipes que cuidam dos cachorros informaram a veículos de imprensa nacionais, que um apresentava sangue na urina e que o exame de sangue feito nos animais, mostrou que eles receberam anabolizantes de forma indiscriminada, para ficarem mais violentos.

Vários cães continuam internados. Eles serão postos à adoção após alta médica, castração e avaliação geral.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-AM), emitiu a seguinte nota sobre o caso:

NOTA OFICIAL

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Amazonas (CRMV-AM) lamenta profundamente a suspeita de participação de um médico-veterinário que, segundo a Polícia Civil de São Paulo, participava de uma quadrilha que promovia rinhas de cães no município de Mairiporã (SP), no último sábado, dia 14 de dezembro.

O profissional citado possui registro para atuação no estado do Amazonas, portanto, o CRMV-AM, por meio de seus departamentos competentes, tomará as medidas necessárias para a apuração dos fatos e tomará as providências cabíveis no que tange à ética profissional, sobretudo, em bom nome do Sistema CFMV/CRMVs, responsável por normatizar e fiscalizar o exercício da Medicina Veterinária no Brasil.

Lamentamos o ocorrido e manifestamos repúdio a todo e qualquer tipo de maus-tratos contra animais, crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Perplexos com os fatos, desconhecemos justificativas racionais para o envolvimento de um profissional da Medicina Veterinária em rinhas de cães.

Ademais, o CRMV-AM ressalta que, de acordo com a Resolução nº 1.236/2018, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o profissional que comete ou é conivente com atos de crueldade, abuso e maus-tratos aos animais deve responder por falta ético-profissional. Este Regional enfatiza, ainda, que a resolução é clara em seu texto quanto ao dever do médico-veterinário de prevenir e evitar quaisquer atos que configurem maus-tratos.

Comentários