Arlindo Júnior morre aos 51 anos, vítima de câncer




O eterno levantador de toadas do boi bumbá Caprichoso, e ex-vereador de Manaus, Arlindo Júnior, 51, morreu na noite do último domingo, 29, vítima de um câncer metastático, que teve início na pleura, em 2016, e se espalhou por vários órgãos.

Arlindo estava internado no hospital Samel, na capital amazonense, e foi a óbito após uma parada cardíaca, antecedida por falência parcial de órgãos.

Arlindo fazia tratamento em Manaus, em hospitais como a Fundação Cecon, e acompanhamento em unidades de São Paulo (SP), onde costumava realizar seus check ups médicos.

Ele foi internado, semana passada, em Manaus, para a realização de exames e nos últimos dias, teve o quadro de saúde agravado.

Conhecido como Pop da Selva, Arlindo foi um dos mais populares itens do touro negro, personagem de um dos maiores festivais folclóricos do País: o Festival de Parintins, que ocorre em uma ilha situada a 369 quilômetros de Manaus, e que atrai, todos os anos, milhares de turistas do Brasil e do Mundo.

Arlindo foi secretário de Cultura do Município e subsecretário de Esportes do Estado. O Governo do Estado, a Prefeitura de Manaus, a Câmara Municipal de Manaus, entre outros órgãos públicos, emitiram notas de pesar.

No último Festival Folclórico de Parintins, já apresentando sinais de cansaço, Arlindo Júnior se apresentou pela última vez, levando o público ao delírio. Veja algumas notas de pesar!

Nota do Governo do Amazonas


A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa manifesta profundo pesar pelo falecimento do cantor Arlindo Júnior, na noite deste domingo (29/12), em Manaus.



Nome forte do boi Caprichoso, Arlindo revolucionou a forma de apresentação das toadas e se tornou o “Pop da Selva”. “A Cultura do nosso estado perde mais um grande ícone. Além de extremamente talentoso, Arlindo foi um guerreiro. Nesse momento, presto toda a minha solidariedade à família, aos amigos e aos fãs”, destacou o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.


Além da dedicação à música, Arlindo teve inserção na política local e acumulou passagens pelas secretarias estadual e municipal de Cultura. O velório acontece no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques (CCAVV).

O Boi Caprichoso emitiu a seguinte nota:


A Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso, em nome do presidente Jender Lobato e do vice Karu Carvalho, comunica que um dos mais importantes artistas da história de nossa agremiação acabou de falecer, Arlindo Júnior. A voz do Festival, a voz de nossa galera, a voz do lindo histórico de amor ao boi Caprichoso silencia neste mundo para cantar no mundo celestial ao lado de tantas outras estrelas azuladas.

Um filme passa por nossas cabeças. Quantas vezes sua voz deu o tom para que a galera explodisse com a toada Pesadelo dos Navegantes na arena do bumbódromo? Quantas vezes seus olhos derramaram lágrimas ao entrar na arena e ver que ali estavam todos os torcedores apenas aguardando o seu sinal, para que pudessem levar o Boi Caprichoso ao título?

Na memória e no coração azulado estamos com os grandes clássicos do Festival em sua voz. É difícil escrever algo sobre alguém que esteve sempre ao nosso lado, contagiado com sua alegria, com sua linda história.

Arlindo é um dos maiores nomes do Festival de Parintins. Chegou na ilha para cantar em um aniversário, aqui se apaixonou, e não quis mais ir embora. Comandou o programa Buteco do Arlindo na Rádio Clube, formou sua banda de pagode, foi levantador das primeiras bandas do Boi Caprichoso. Se tornou levantador de toadas e quando o boi precisou dele também acumulou a função de apresentador. Quanto talento! Dois em um!


Comentários